Mercados de Buenos Aires

Redutos que em sua origem eram destinados ao abastecimento de produtos frescos para a população “portenha”, surgidos no século XIX, hoje continuam erguidos entre a nostalgia do esplendor do passado e um futuro que, junto ao crescimento local das tendências da cozinha gourmet e saudável, garante novos tempos.

Os mercados de abastecimento de Buenos Aires surgiram no final do século XIX e no começo do século XX, quando a cidade registrou o maior crescimento demográfico de sua história, como consequência das correntes migratórias que chegaram da Europa. Nessa cidade em formação, os mercados se constituíram não só como eixos em matéria de abastecimento e intercâmbio de mercadorias (produtos frescos como carnes, verduras e frutas, mas também prendas de vestir, louças e outros artigos de bazar), mas também como verdadeiros pontos de referência dos bairros. Ícones que identificam diversos setores da capital, correram uma sorte diversa ao longo dos anos, mas alguns deles ainda continuam em pé e foram revalorizados como espaços místicos de Buenos Aires, podendo ser visitados em um percurso autenticamente portenho.

 

Mercado de San Telmo

Inaugurado em 1897 por um inquieto empresário: José Ocantos, quem encarregou sua construção ao arquiteto Juan Antonio Buschiazzo, trata-se de uma grande e bela estrutura com teto de vigas de ferro, com placas de chapa e vidro. A fachada é de estilo italiano, com arcos de meio ponto e ordem toscana. Imortalizado em fotografias de viajantes do mundo inteiro, está situado entre as ruasDefensa, Carlos Calvo, Bolívar e Estados Unidos, e abrange desde barracas que funcionam como açougue ou quitanda até as que vendem roupa, adornos, curiosidades, além de coisas antigas e peças de arte.

É recomendável visitar a quitanda do Henry (muito mais que frutas e verduras), não se esquecer de Especias 47 (cheia de recipientes de todas as cores, com especiarias vários tipos e diversa origem), e deixar-se seduzir pelo pão do Angelito (feito em forno tradicional, é uma marca registrada do bairro). Quanto à oferta gastronômica, além do tradicional Café del Mercado, dentro do coração desse reduto, encontra-se também Coffee Town, um novo espaço que promete os melhores cafés do mundo.

Onde: Bolívar e Carlos Calvo, Bairro de San Telmo (Ingresso: Defensa 961, Estados Unidos 460, Bolívar 950, Carlos Calvo 461).

Quando: de segunda a domingo, das 8h às 20h.

Mais inf.: http://www.turismo.buenosaires.gob.ar/es/atractivo/mercado-de-san-telmo

Mercado del Progreso2

Mercado do Progresso

Na Rua Rivadavia, esquina com Del Barco Centenera, a metros de Primera Junta, descobre-se outro sobrevivente dos velhos mercados portenhos, verdadeiro comércio de culto para os vizinhos do bairro Caballito. E também para destacados chefs, que encontram em suas barracas aqueles produtos que não podem ser encontrados em qualquer lugar. Só para mencionar, a barraca 33 (puesto 33) do Enrique, dedica-se exclusivamente a comercializar todas as variedades de batata que são cultivadas na Argentina.

O Mercado do Progresso foi inaugurado em 1889, e muitas das barracas pertencem à segunda ou à terceira geração de seus donos de origem, fato que explica a conservação de seu espírito. O mesmo que atraiu o escritor Roberto Arlt, quem o escolheu como cenário para a sua novela El juguete rabioso. Atualmente, o mercado consta de 17 barracas em seu exterior e 174 barracas internas, distribuídas em 3.600 metros quadrados. Ali é possível adquirir frutas, verduras, carnes, porcinos, aves, peixes, frutos secos, especiarias, vinhos e licores, empanadas, pizzas, massas frescas e ovos de chácara, e tudo de primeira qualidade. E para poder contar para vocês sobre o lugar, nós fomos até lá, provamos alguns produtos e podemos garantir que o matambre arrollado do Dardo (barracas 113 e114) é insuperável.

Onde: Rua Rivadavia e Del Barco Centenera, Bairro Caballito (Ingressos: Avda. Rivadavia número 5430, Avda. Del Barco Centenera número 141).

Quando: De segunda a sábado, das 8h às 13h e das 17h às 20h30min.

Mais inf.: http://mercadodelprogreso.com/1/

 

El Galpón de Lacroze

Galpón de Lacroze

Ao contrário do que acontece com os mercados de San Telmo e El Progreso, este não é um reduto da cidade de Buenos Aires de outra época. Pelo contrário, é um digno representante dos novos tempos que atravessam a cidade e envolvem a gastronomia e os bons sabores. Mas, em se tratando de mercados portenhos, não podemos nem devemos deixar de mencioná-lo.

Trata-se da feira orgânica estável mais importante de Buenos Aires. Produtores da cidade e das redondezas chegam até aqui vindo de chácaras e de campos próximos, para comercializar frutas e verduras recolhidas sem fertilizantes nem agroquímicos, além de lácteos de produção caseira e produtos orgânicos de elaboração artesanal (pães, geleias, conservas, entre outros). Situado no bairro de Chacarita, El Galpón conta com um balcão e mesinhas para tomar o café da manhã ou almoçar, desfrutando de sabores naturais a preços mais do que justos.

Onde: Rúa Federico Lacroze 4171, Bairro Chacarita.

Quando: Quartas e sábados, das 9h às18h.

Mais inf.: http://www.elgalpon.org.ar/elgalpon/llegar.html

“A informação fornecida pelos sites mencionados é de absoluta responsabilidade de seus editores. O Instituto Nacional de Promoção Turística não se responsabiliza pelos dados ali publicados”.

Voltar

Você também pode gostar

Comentários

Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade de seus autores e as consequências derivadas dos mesmos podem ser passíveis de sanções legais.